Geografia na Fuvest (Programa)

Matéria: Geografia
Instituição avaliadora: Fuvest - Fundação Universitária para o Vestibular (São Paulo/SP)

Descrição:
Programa de Geografia na Fuvest

Fuvest 2009

man2009.gif

A prova da FUVEST, na área de Geografia, objetiva avaliar o nível de apropriação e a capacidade da correta aplicação de um conjunto de conceitos e informações relativos ao espaço geográfico, que abrange sociedade e natureza em suas especificidades e interrelações. Esse tipo de conhecimento constitui-se no instrumental mínimo para introdução do indivíduo na análise, síntese e interpretação crítica da realidade contemporânea mundial e brasileira.

Assim, espera-se do candidato egresso do Ensino Médio não só a apropriação de repertório, informações e linguagem, em diversas escalas, relativos ao espaço geográfico, mas também a capacidade de experimentar, de forma crítica e coerente, alguns níveis de compreensão da produção e da transformação do mundo em que vive.
Os conceitos-chave com os quais a Geografia lida, seu vasto campo de investigação e suas abordagens multiescalares, permitem classificá-la como uma das áreas mais fecundas para o exercício da interdisciplinaridade e para a superação de leituras e interpretações fragmentadas da realidade.

Dessa forma, sem negligenciar os conteúdos e informações substanciais para tal superação, espera-se avaliar a capacidade do candidato quanto a:

  • Caracterização e compreensão da sociedade e da natureza, em suas especificidades e interrelações.
  • Compreensão do espaço geográfico: produção, paisagens, organização e transformação.
  • Compreensão de fatos e processos sociais e naturais como fatos dinâmicos e analisáveis em diversas e complementares escalas de observação.
  • Compreensão do mundo atual por meio dos processos de transformação que o trabalho social imprime à natureza.
  • Identificação de relações entre a realidade brasileira e os processos gerais que regem a sociedade contemporânea, tanto no que se refere à natureza — apropriada, transformada e revalorizada — quanto no que se refere à sociedade propriamente dita.
  • Conhecimento e utilização das técnicas de localização e representação do espaço geográfico.

PROGRAMA

I — O espaço mundial. Desigualdades sócio espaciais das atividades econômicas, população, trabalho e tempo livre, centros de poder e conflitos atuais.

1 — A distribuição territorial das atividades econômicas. A natureza como recurso para o desenvolvimento das atividades econômicas: extrativismo, coleta e produção agropecuária. A utilização dos recursos naturais e os impactos ambientais.

1.1 — Os processos de industrialização, urbanização e metropolização e o desenvolvimento desigual dos países.

1.1.1 — Os grandes centros econômicos e sua organização territorial: Estados Unidos, Japão e Europa Ocidental.
1.1.2 — Diversidade geográfica e socioeconômica da América Latina, África, Ásia e Oceania.

1.2 — A integração dos países pelas redes materiais e imateriais. As redes de transporte e a circulação de mercadorias e as redes imateriais: fluxos de informação, de comunicação e de capital financeiro.

2 — A população mundial: estrutura, dinâmica e mobilidade geográfica.

2.1 — Estrutura e dinâmica populacional, desemprego e exclusão social.
2.2 — Mobilidade populacional: migração de trabalhadores, fluxo de turistas e de refugiados políticos.

3 — Tempo livre: diferenças geográficas e sociais.

3.1 — O lazer e o entretenimento na sociedade atual: direito ao lazer e sua mercantilização.
3.2 — O turismo como atividade econômica e suas diversas formas.
3.3 — Os impactos sócio-ambientais da atividade turística.
3.4 — O esporte. A indústria cultural.

4 — Do mundo bipolar ao mundo multipolar.

4.1 — Surgimento e crise do mundo bipolar: as potências coloniais, a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais, as superpotências, o movimento dos países não alinhados, a corrida armamentista e a Guerra Fria.
4.2 — Implicações geopolíticas da desestruturação da União Soviética: crise e desagregação da URSS e a reestruturação política do leste europeu.
4.3 — O mundo multipolar: a hegemonia mundial dos Estados Unidos e os novos pólos do poder mundial: Alemanha, França, Reino Unido, Japão, China e Rússia. As potências regionais: África do Sul, Brasil e Índia.
4.4 — A organização do poder econômico e político mundial: os principais organismos internacionais, os blocos econômicos regionais, os grandes grupos econômicos internacionais e as organizações não governamentais.
4.5 — A emergência de conflitos regionais e a questão das identidades sócio-culturais: étnicas, tribais e religiosas.

II — O espaço geográfico brasileiro. A formação do território, a distribuição territorial das atividades econômicas, população e participação do Brasil na ordem mundial.

1 — A formação do território brasileiro e a gênese das desigualdades sócio-espaciais contemporâneas. A produção de espaços vinculados ao comércio colonial exportador.

1.1 — Os espaços geográficos complementares à economia colonial exportadora.
1.2 — As fronteiras territoriais.

2 — A distribuição territorial das atividades econômicas.

2.1 — A natureza como recurso para o desenvolvimento das atividades econômicas.

2.1.1 — A exploração vegetal e a pesca.
2.1.2 — Os recursos minerais, as fontes de energia e os impactos ambientais.

2.1.2.1 — O modelo energético brasileiro.

2.2 - A diversidade regional da agricultura e da pecuária brasileira. Da subsistência à modernização agropastoril. A questão da propriedade territorial, das relações de produção e de trabalho.

2.2.1 — O complexo agro-industrial. A política agrícola e os mecanismos de financiamento das atividades no campo.
2.2.2 — A reforma agrária e os movimentos sociais no campo.
2.2.3 — A agricultura e os impactos ambientais.

2.3 — O processo de industrialização brasileiro.

2.3.1 — Gênese da indústria: a cafeicultura e a concentração de riqueza em São Paulo.
2.3.2 — O processo de industrialização, a concentração da atividade industrial no Brasil e a recente desconcentração espacial da indústria.
2.3.3 — A industrialização restringida, a substituição de importações e o desenvolvimento de pólos industriais e tecnológicos.
2.3.4 — O processo de industrialização e o desenvolvimento desigual das regiões brasileiras.

2.4 — O processo de urbanização e a constituição da rede urbana brasileira.

2.4.1 — O desenvolvimento metropolitano e as atividades de serviços.
2.4.2 — A produção científica e tecnológica no Brasil: as instituições de pesquisa.
2.4.3 — A urbanização e os impactos ambientais.
2.4.4 — Os movimentos sociais urbanos.

2.5 — As regiões brasileiras e o Estado de São Paulo.

3 — A população brasileira: estrutura, dinâmica e mobilidade geográfica.

3.1 — A formação da população brasileira. A questão indígena e as seqüelas da escravidão africana. A imigração européia e asiática.
3.2 — Estrutura e dinâmica da população brasileira, emprego, distribuição da renda e exclusão social. Os indicadores de qualidade de vida.
3.3 — A distribuição espacial da população, migrações internas e externas. Migração de trabalhadores, fluxo de turistas e de refugiados políticos.

4 — O Brasil na nova ordem mundial.

4.1 — Participação do Brasil nos organismos internacionais, sua relação com os centros hegemônicos mundiais e com blocos econômicos regionais.

4.1.1 — O Brasil e os Estados Unidos.
4.1.2 — O Brasil e a América Latina. A relação com os países amazônicos. A formação e o desenvolvimento do Mercosul.
4.1.3 — O Brasil e seus demais parceiros internacionais.

III — O planeta Terra: os climas e os ecossistemas terrestres, o relevo e a água na superfície terrestre.

1 — O planeta Terra.

1.1 — Origem do Universo e do planeta Terra: hipóteses explicativas.

1.1.1 — Movimentos principais da Terra e suas conseqüências.

1.2 — Estrutura interna da Terra.

1.2.1 — Os sismos e o conhecimento das camadas internas. A crosta terrestre e sua composição. Origem e evolução dos continentes e a deriva continental.
1.2.2 — A tectônica de placas: distribuição das placas na superfície terrestre e seus movimentos. Bordas de placas, atividade vulcânica e formação de montanhas.

1.3 — Natureza e origem das rochas.

1.3.1 — Minerais constituintes e tipos de rochas. O ciclo das rochas.
1.3.2 — As rochas, os fósseis e a escala do tempo geológico. A idade da Terra.
1.3.3 — Recursos minerais e sua distribuição. Origem e evolução dos depósitos de combustíveis fósseis.
1.3.4 — Recursos minerais no Brasil.

2 — Os climas e os ecossistemas terrestres.

2.1 — O clima.

2.1.1 — A atmosfera: composição química.
2.1.2 — Temperaturas e circulação atmosférica. As mudanças de temperatura e os fatores geográficos. As precipitações.
2.1.3 — Tempo e clima. Zonalidade climática.
2.1.4 — O efeito estufa natural. As mudanças climáticas.

2.2 — A biosfera. Conservação, uso, manejo e estado atual dos ecossistemas.

2.2.1 — Distribuição geográfica dos climas e a distribuição da vegetação.
2.2.2 — Ecossistemas das zonas polares, temperadas frias, temperadas, áridas e de altitude.
2.2.3 — Os ecossistemas intertropicais e sua diversidade.

3 — O relevo terrestre.

3.1 — Fatores endógenos.

3.1.1 — Escudos e bacias sedimentares antigos e modernos e cadeias dobradas. Tipos de relevo associados.
3.1.2 — A formação das montanhas: falhas e dobras. Tipos de relevo associados.
3.1.3 — Vulcões e relevo vulcânico.
3.1.4 — Escala de unidades geomorfológicas: magnitude, tamanho e permanência.
3.1.5 — Origem e evolução da plataforma brasileira. Os tipos de relevo.

3. 2 — Fatores exógenos.

3.2.1 — Os ambientes terrestres e o modelado do relevo. Intemperismo e pedogênese.
3.2.2 — Morfogênese: formas e depósitos associados nos ambientes polares, temperados frios, temperados, intertropicais, áridos e de altitude.
3.2.3 — O modelado antrópico.
3.2.4 — O modelado do relevo brasileiro.

4 — A água na superfície terrestre.

4.1 — Oceanos e mares.

4.1.1 — A água em movimento: correntes marinhas, ondas e marés.
4.1.2 — O relevo e os ambientes submarinos.
4.1.3 — A temperatura e a salinidade como fatores de distribuição das espécies.
4.1.4 — A plataforma e as bacias oceânicas brasileiras: biodiversidade, recursos minerais e impactos ambientais.
4.1.5 — Formas resultantes da dinâmica marinha, dos fatores tectônicos e dos seres vivos na interface continente-oceano.
4.1.6 —- O litoral brasileiro: os tipos de costa e sua evolução. Os ecossistemas costeiros: conservação, uso, manejo e estado atual.

4.2 — Os ambientes de água doce.

4.2.1 — A bacia hidrográfica como unidade de análise. A rede hidrográfica.
4.2.2 — Os sistemas fluviais: formas e depósitos. Os rios meandrantes e os deltas.
4.2.3 — A vida no ambiente fluvial.
4.2.4 — As bacias fluviais brasileiras: conservação, uso, manejo e estado atual.
4.2.5 — A água nos ambientes áridos e semi-áridos: rios anastomosados e leques aluviais.
4.2.6 — Lagos e águas subterrâneas. Tipos de lagos. A vida nos ambientes lacustres.
4.2.7 — Geleiras: formas e depósitos associados. A vida no ambiente glacial.

IV — A questão ambiental: Os ciclos globais, a agenda ambiental internacional e as políticas ambientais no Brasil.

1 — Os ciclos globais e o ambiente terrestre nas questões internacionais.

1.1 — Escala temporal das flutuações climáticas.
1.2 — O sistema climático tropical e o fenômeno ENSO (El Niño/Oscilação Sul).

1.2.1 — Episódios ENSO e o clima global: secas na África, desertificação, variabilidade das monções, atividade ciclônica no Atlântico e oscilações de temperatura na zona extratropical.

1.3 — Os resultados físicos das mudanças químicas: a intervenção antrópica. A Convenção sobre Mudanças Climáticas Globais.

1.3.1 — A intensificação do efeito estufa e o aquecimento global. O buraco na camada de ozônio. O Protocolo de Montreal.
1.3.2 — O uso intensivo do solo e a desertificação. A Convenção sobre Desertificação.

1.4 — Os países de megadiversidade biológica. A Convenção sobre Diversidade Biológica.

2 — A agenda internacional ambiental e o movimento ambientalista.

2.1 — A questão ambiental na ONU e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente.
2.2 — As Conferências internacionais sobre o ambiente.

2.2.1 - A participação do Brasil nas reuniões internacionais sobre o ambiente.
2.3 — A participação das organizações não governamentais ambientalistas em organismos internacionais.

2.3.1 — As diferentes visões do ambientalismo.

3 — Políticas públicas ambientais e o ambientalismo no Brasil.

3.1 — A institucionalização da temática ambiental no Brasil.

3.1.1 — A legislação ambiental brasileira.
3.1.2 — Os Conselhos sobre o meio ambiente e a participação da sociedade civil.

3.2 — Políticas de gestão dos recursos hídricos.

3.2.1 — Os Comitês de Bacia.
3.2.2 — O uso dos aqüíferos.

3.3 — Políticas de conservação da diversidade biológica brasileira.

3.3.1 — As unidades de conservação no Brasil.
3.3.2 — O acesso aos recursos genéticos do Brasil e o conhecimento desses recursos pelas comunidades locais.

3.4 — O ambientalismo no Brasil.

V - Representações do espaço geográfico

1.1 - Representações gráficas e cartográficas: confecção e utilização. Tabelas, gráficos, cartas, mapas, perfis, blocos-diagramas e maquetes: possibilidades de leituras, correlações e interpretações.
1.2 — Sistemas referenciais para localização espacial. O sistema de coordenadas terrestres.
1.3 — Cartografia.

1.3.1 — Hemisférios, fusos e zonas terrestres.
1.3.2 — Representação da superfície terrestre: projeções cartográficas, distorções e escalas. Tipos de mapeamentos temáticos.
1.3.3 — Cartografia como linguagem e sistematização de conhecimento estratégico.
1.3.4 — Cartografia e o uso de novas tecnologias: GPS, Produtos de sensoriamento remoto e SIGs.

Add a New Comment
or Sign in as Wikidot user
(will not be published)
- +
Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License